Audiência pública vai debater situação das Rádios Comunitárias no RN

 

O rádio é um dos veículos de comunicação mais democráticos que existe e, por isso, é fundamental o reconhecimento do seu papel no campo social. Ampliar o acesso do cidadão à informação, educação e cultura é defender a cidadania e, sem dúvida, as rádios podem ter um papel fundamental nesse processo de difusão do conhecimento nas regiões em que estão instaladas.

O incentivo a radio difusão comunitária no Rio Grande do Norte será debatido na Assembleia Legislativa através de proposição da deputada estadual Márcia Maia.  A proposta veio após reunião da parlamentar com representantes da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (ABRAÇO) Nacional e do RN.

A audiência pública que acontecerá nesta segunda-feira, 18 de setembro, reunirá representantes de rádios comunitárias de todo o Rio Grande do Norte para debater estratégias de fortalecimento e incentivo a radiodifusão, bem como, apresentar a importância dessas rádios para as regiões em que estão inseridas e conhecer as principais dificuldades enfrentadas ao seu funcionamento.

Para a deputada Márcia, o debate é fundamental em razão da importância das rádios nos municípios do interior potiguar. “O rádio é um dos veículos de comunicação mais democráticos que existe e, por isso, é fundamental o reconhecimento do seu papel no campo social. Ampliar o acesso do cidadão à informação, educação e cultura é defender a cidadania e, sem dúvida, as rádios podem ter um papel fundamental nesse processo de difusão do conhecimento nas regiões em que estão instaladas”, afirmou a parlamentar.

A representante da Executiva Nacional da ABRAÇO e secretária-geral da entidade no RN, Fátima Cruz, destacou a importância do evento e o papel importante do Legislativo em levantar o debate. “É uma importante oportunidade para mostrar um pouco do trabalho que é feito pelas rádios e como elas podem colaborar com as regiões”, afirmou.

O presidente da ABRAÇO POTIGUAR, Thomas Sena, também exaltou a proposta da audiência pública. “Será um espaço que nunca foi dado as rádios comunitárias. Diante de tantos anos de luta, teremos voz para mostrar o papel realizado por nós nas cidades, junto à população”, disse.

Segundo dados da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão de abril de 2013, o RN possui pouco mais de 124 rádios comunitárias com portaria de funcionamento. O número, inclusive, tende a ser ainda maior em razão do levantamento ter sido realizado há mais de quatro anos. Ao todo, no país, o estudo aponta para a existência de mais de 4,5 mil rádios comunitárias autorizadas a funcionar no Brasil.

Saiba mais

As chamadas rádios comunitárias são um tipo especial de emissora de rádio FM, de alcance limitado. As rádios comunitárias foram criadas para proporcionar informação, cultura, entretenimento e lazer às pequenas comunidades.

É uma estação de rádio menor em relação às demais, que serve como canal de comunicação com a comunidade. A estação de rádio comunitária deve operar com potência de transmissão irradiada máxima de 25 watts. O número de rádios comunitárias com portaria de autorização alcançava a cifra de 4.504 emissoras em abril de 2013, segundo dados fornecidos pelo MiniCom.
15/09/2017