FIQUE SABENDO: Ministério da Saúde chama a população para fazer teste rápido de HIV

Durante dez dias, unidades do "Fique Sabendo" estarão em todos os estados brasileiros realizando testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites virais. O objetivo é incentivar as pessoas a realizar o teste rápido e, com isso, informar sobre a importância do tratamento precoce da doença. A estratégia do Ministério da Saúde faz parte das ações que marcam o Dia Mundial de Luta contra Aids, no próximo dia primeiro de dezembro.

Estima-se que atualmente no Brasil existam 130 mil pessoas que são infectadas com o vírus do HIV, mas que ainda não sabem. Por esse motivo, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, reforça a importância do teste para o inicio imediato do tratamento, caso o resultado seja positivo.

"Então, serão oferecidos em mais de dois mil municípios brasileiros. Quase todos os estados já mostraram os seus planos. Esses mais de dois mil municípios brasileiros dão mais de 90 por cento da população alvo. Serão oferecidos locais para realizar a testagem para o HIV no teste rápido. Em menos de vinte minutos você já sabe o resultado. É um furinho no dedo se der positivo será encaminhado para o aconselhamento e tratamento, se der negativo reforçar as ações de prevenção tanto para o HIV/aids, quanto para sífilis, quanto para as hepatites virais".

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, lembra ainda que, no caso da aids, os sintomas demoram aparecer. Por isso, a importância do diagnóstico precoce.

"As pessoas não podem ficar esperando ter sinais e sintomas para saber se está infectada pelo vírus do HIV. Entre a infecção pelo vírus do HIV e começar a ter os primeiros sinais e sintomas da doença isso às vezes demora de oito até quinze anos. Então um período bastante logo para a pessoa manifestar os sinais da doença. E nesse período todo, a pessoa está transmitindo para outras e perdendo a oportunidade de começar o tratamento mais precocemente".

De janeiro a setembro deste ano já foram distribuídos mais de dois milhões de testes rápidos em todo o País. Até o final do ano, o Ministério da Saúde pretende distribuir cerca de três milhões de testes rápidos apenas para detecção do HIV. Atualmente no Brasil a realização do teste é maior entre homens que fazem sexo com homens, mulheres profissionais do sexo e usuários de drogas ilícitas.

21/11/2012