FORÇA NACIONAL DO SUS: Profissionais de saúde já podem se inscrever


Depois de nove mil adesões no ano passado, o Ministério da Saúde abre novamente as inscrições para profissionais de saúde que quiserem ser voluntários da Força Nacional do SUS. Os profissionais que compõem a Força são convocados em situações de emergência para atender vítimas de desastres naturais, calamidades públicas ou situações de risco epidemiológico, como surtos de leptospirose após enchentes. Recentemente, foram profissionais da Força Nacional do SUS que prestaram atendimento às vítimas do incêndio da boate Kiss em Santa Maria, Rio Grande do Sul. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, explica que a criação da Força Nacional do SUS é para que o País esteja preparado para enfrentar qualquer tipo de emergência:

 

"Com a Força Nacional do SUS, nós estamos nos preparando para uma realidade que é cada vez mais comum que é a situação de desastres, catástrofes, que nós temos que ter cada vez mais capacidade de resposta para isso, com profissionais que estejam qualificados para não exista improvisação nessa ação, nós teremos profissionais que serão permanentemente qualificados."

 A coordenadora Nacional de Ações Estratégicas do Ministério da Saúde, Conceição Costa, conta que é gratificante o trabalho realizado pelos voluntários da Força Nacional do SUS.

 

"É um grande crescimento profissional, a exemplo de saúde indígena, seja em desastres, você olhando para os desalojados nas enchentes, ou seja vitimas das tragédias como aconteceu agora em Santa Maria. São lições aprendidas a cada momento que você sai para atuar em uma situação de emergência de saúde pública".

As inscrições podem ser feitas até dia 28 de fevereiro. Podem se inscrever voluntários de entidades públicas ou privadas que atuam na área da saúde, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, condutores de veículo, assistentes sociais e psicólogos. Os interessados devem preencher a ficha eletrônica de inscrição disponível no site do Ministério, no endereço: www.saude.gov.br. O banco de voluntários vai ser organizado pelo Ministério da Saúde, que vai acionar os profissionais, conforme cada situação de emergência.

Reportagem, Alexandre Penido

18/02/2013